ELES MENTEM


Autor: CRÍTICA POLÍTICA BRASIL

A capacidade de grande parcela de políticos brasileiros em falsear a verdade é das mais agressivas. Nota-se mais facilmente esta vocação na politicagem de esquerda, mas também em alguns espécimes da direita. Na esquerda é mais notória em face da quantidade de fatos históricos e investigações recentes que requerem a apresentação da inverdade, mormente nos dias atuais. A habilidade é tão perceptível que é desonesto chamar os fatos inverídicos de “falseamento da verdade”. O que grande maioria deles pratica, na verdade, é a mentira deslavada, descarada, desavergonhada, em amplitude e abrangência descomunais, inacreditáveis, aterradoras, desafiadoras da inteligência do brasileiro médio e do brasileiro mais ingênuo.

Mentem para acobertar familiares, parentes próximos e distantes, companheiros, possíveis companheiros, amigos, pretensos amigos, inimigos, prováveis inimigos, meros conhecidos e desconhecidos. 

Mentem para omitir transações financeiras duvidosas, no Brasil e no Exterior, empréstimos fraudulentos, recebimento de valores indevidos, tráfico de influência, locupletação com recursos públicos, superfaturamento de contratos, fraude em licitações. Mentem para proteger o Partido, a base aliada e não aliada, a si próprios, a terceiros.

Mentem sobre viagens e ocultos encontros políticos, nacionais e internacionais. Mentem sobre aumento de impostos, de tarifas, taxas, sobre os preços subsidiados, sobre o desemprego e o emprego. Mentem sobre privatizações, chamando-as de concessões. Mentem sobre o controle da inflação e do câmbio. Mentem quando gastam mais do que arrecadam.

Mentem ao incutir no povo brasileiro os fundamentos da disputa entre ricos e pobres; homossexuais e heterossexuais; brancos e negros; brancos e índios; professores e alunos; esquerda e direita; nacionais e estrangeiros. Mentem quando dizem favorecer as minorias, mas delas se utilizam como massa de manobra. Mentem sobre a laicidade do Estado Brasileiro.

Mentem sobre os indicadores educacionais, sobre a identidade de gênero, sobre o número de homicídios anuais, sobre a eficácia do Estatuto do Desarmamento, sobre o número de abortos praticados no Brasil e a quantidade de mulheres mortas em decorrência desta prática. Mentem quando apoiam a nefasta legalização da drogas. Mentem sobre o combate ao tráfico de drogas e de armas. Mentem sobre a proteção de nossas fronteiras. Mentem sobre o desmantelamento das forças armadas, das polícias militares e civis. Mentem sobre a ingerência estatal em processos judiciais.

Mentem em simples falas, conversas informais, entrevistas, inquirições, depoimentos, acareações, discursos, debates, encontros, fóruns, congressos. Mentem em livros, revistas, editoriais e jornais. Mentem ao telefone, por e-mail, SMS, WhatsApp e redes sociais. Mentem em sonho.

Mentem quando não confessam que todas as mentiras acima são parte de um Projeto de Poder.

Mentem até acreditar que a mentira sobre as quais mentem é a mais pura e exclusiva verdade, e que todas as outras afirmações, que não as deles, são as verdadeiras mentiras.

Mentem sobre a natural realidade e evidência dos fatos.

Mentem ao afirmar que jamais mentiram ao povo brasileiro.

Eles mentem.

Brasil, 21 de dezembro de 2015.